Fale conosco
Menu

Bachelet descreve série de violações de direitos humanos na Ucrânia

Compartilhe em:

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Durante sessão do Conselho de Direitos Humanos, alta comissária citou assassinatos de civis, abusos sexuais e desaparecimentos; Michelle Bachelet relatou a tragédia de 10 idosos que morreram após serem obrigados pelas forças russas a ficar no porão de uma escola sem água nem ventilação.

O conflito na Ucrânia é foco de uma sessão do Conselho de Direitos Humanos nesta quinta-feira, 12 de maio. Os países-membros ouviram a alta comissária da ONU, Michelle Bachelet, que descreveu uma série de violações verificadas pelo seu escritório, que podem ser classificadas como crimes de guerra.

Em Genebra, Bachelet destacou ser importante lembrar que os números reais de vítimas devem ser bem maiores. Ela explicou que tem sido difícil chegar a áreas de combates intensos, como Mariupol.

UNICEF/Kate Klochko Deslocados internos em um centro de recepção em Zaporizhzhia, na Ucrânia

Apenas uma parte das violações é documentada

Apesar dos incidentes por ambos os lados do conflito, Bachelet garante que a maior parte é de responsabilidade das forças armadas da Rússia.

A alta comissária contou que é doloroso “imaginar quantas visitas a mais serão necessárias para documentar apenas uma fração das violações flagrantes de direitos humanos”.

A Missão de Monitoramento na Ucrânia visitou 14 cidades e vilarejos em Kyiv e Chernihiv e ouviram relatos de assassinatos, ferimentos, prisões ou desaparecimentos.

Drama em porão

Bachelet afirma que mais de 1 mil corpos de civis foram recuperados apenas em Kyiv, alguns tinham sinais de execuções sumárias.

A chefe de direitos humanos falou da situação desesperadora de 360 residentes de um vilarejo em Chernihiv, incluindo 74 crianças e 5 pessoas com deficiência.

Todos foram obrigados pelas forças russas a passar 28 dias no porão superlotado de uma escola, com pessoas que sequer conseguiam deitar no chão, e sem acesso à água ou ventilação. Dez idosos acabaram morrendo.

© UNICEF/Viktor Moskaliuk Mulheres abrigadas em um porão na cidade de Mariupol, na Ucrânia.

Horror em Mariupol

No Conselho de Direitos Humanos, Bachelet relatou também vários casos de assassinatos, dezenas de casos abusos sexuais e centenas de desaparecimentos forçados, além da destruição de centenas de escolas, hospitais e de milhares de casas.

A alta comissária afirmou estar especialmente “chocada” com os “horrores inimagináveis sofridos pelos habitantes de Mariupol”, onde é possível que “o total de mortes passe de 1 mil”.

Michelle Bachelet disse ainda que acabar com a violência na Ucrânia é a única maneira de interromper as violações de direitos humanos.

FIM

Fonte: ONU News

Se preocupa com o mundo em que vivemos? Então DEFENDA os direitos de alguém hoje #Standup4humanrights e visite a página da web em http://www.standup4humanrights.org

ODS Relacionados

Rolar para cima