NAÇÕES UNIDAS DIREITOS HUMANOS, Escritório do Alto Comissariado América do Sul


desapa-2-e1518032632170

Comitê contra Desaparecimentos Forçados encerrou ação urgente registrada no caso de Santiago Maldonado

24 de janeiro, 2018

desapa-2-e151803263217024 de janeiro de 2018 – No dia 7 de agosto de 2017, o Comitê contra Desaparecimentos Forçados (o Comitê) enviou um pedido de ação urgente ao governo de Argentina, em aplicação do artigo 30 da Convenção Internacional para a Proteção de todas as pessoas contra os desaparecimentos forçados, pedindo a ação imediata do Estado parte para buscar e localizar o sr. Santiago Maldonado. Segundo informações recebidas pelo Comitê, o sr. Maldonado teria desaparecido durante ou depois de enfrentamentos entre agentes da força pública e manifestantes na província de Chubut.

O Comitê também requereu ao Estado parte cumplir plenamente com sua obrigação de realizar uma investigação integral e independente sobre as causas e circunstâncias do desaparecimento, e de permitir a participação de familiares e próximos do sr. Maldonado na busca e pesquisa, conforme os artigos 12 e 24 da Convenção.

Conforme o artigo 30 da Convenção, seguiram a este requerimento de ação urgente vários intercâmbios com o governo do Estado parte, os autores da petição de ação urgente e o Comitê.

Em outubro de 2017, o Comitê foi informado de que um corpo foi localizado no rio Chubut, que foi identificado em 20 de outubro de 2017 por uma equipe de especialistas forenses como o sr. Santiago Maldonado. A família também reconheceu o corpo.

Em virtude do artigo 30 (4) da Convenção, o “Comitê continuará a envidar esforços para trabalhar com o Estado Parte visado enquanto permanecer por esclarecer o destino da pessoa procurada. A pessoa que apresentou o pedido será mantida informada”. Com a localização e plena identificação do corpo do sr. Santiago Maldonado, o Comitê considera que foi cumplido o propósito da referida ação urgente.

No entanto, o Comitê recordou o Estado parte que a localização do corpo do sr. Santiago Maldonado não o releva de suas outras obrigações derivadas da Convenção, particularmente aquelas consagradas no artigo 12, de:

– realizar uma investigação exaustiva, imparcial e independente das circunstâncias do desapareciemtno desde 1 de agosto de 2017 até 20 de outubro de 2017;

– garantir a plena participação das famílias do sr. Maldonado e dos seus representantes no processo da investigação;

– proteger os próximos da pessoa desaparecida e seus defensores, testemunhas e toda pessoa que participe na investigação, de qualquer forma de pressão, ação de intimidação ou represália;

– no caso de ser demonstrado que o sr. Santiago Maldonado foi objeto de um desaparecimento forçado, garantir que os responsáveis sejam devidamente investigados e sancionados, e garantir o direito à reparação das vítimas.

FIM

Fonte: ACNUDH

Tradução. ACNUDH América do Sul

ONU Direitos Humanos – América do Sul

Facebookwww.facebook.com/ONUdh

Twitterwww.twitter.com/ONU_derechos

YouTubewww.youtube.com/onuderechos

Veja o Índice Universal de Direitos Humanoshttp://uhri.ohchr.org/

 


Endereço > Av. Dag Hammarskjöld 3269, Vitacura, Santiago de Chile

Telefone > (56 2) 2210-2970

Email > ohchr-santiago@ohchr.org