Fale conosco
Menu

Título en Mantenimiento

Compartilhe em:

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Representante fez apelo para condenar qualquer forma de discurso de ódio no país.

Foto: ACNUDH América del SurSANTIAGO (22 de abril de 2016) – O Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) expressou repúdio à “retórica de desrespeito contra os direitos humanos” durante a votação de admissibilidade do processo de impeachment presidencial na Câmara dos Deputados do Brasil, ocorrida no dia 17 de abril.

Em particular, o Escritório do ACNUDH condenou as manifestações do deputado federal Jair Bolsonaro em referência a Carlos Alberto Brilhante Ustra, reconhecido pela justiça brasileira e a Comissão Nacional da Verdade como torturador durante a última ditadura militar no país.

“Repudiamos qualquer tipo de apologia às violações de direitos humanos como a tortura, que é absolutamente proibida pela Constituição brasileira e pelo direito internacional”, disse o Representante do ACNUDH para América do Sul, Amerigo Incalcaterra. “Esse tipo de comentários são inaceitáiveis, especialmente vindos de representantes das instituições brasileiras e eleitos por voto popular”.

O Representante reiterou seu apelo ao Congresso Nacional, às autoridades políticas, judiciárias e à toda a sociedade brasileira a condenar qualquer forma de discurso de ódio, e a defender em toda circunstância os valores da democracia e da dignidade humana.

FIM

Direitos Humanos da ONU, siga-nos nas redes sociais:

Facebookwww.facebook.com/ONUdh

Twitterwww.twitter.com/ONU_derechos

YouTubewww.youtube.com/onuderechos

Flickrhttp://www.flickr.com/onuderechos/

ODS Relacionados

Rolar para cima